Seguidores

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

COMO TRABALHAR COM A CLASSE DO BERÇÁRIO

COMO TRABALHAR COM  A CLASSE DO BERÇÁRIO
Classe do Berçário


A criança nesta idade está descobrindo o mundo! É importante que o ambiente que a recebe seja agradável. Deve ser bem iluminado, o mais espaçoso possível, seguro e ventilado (sem umidade).

Como ela está percebendo tudo em seu redor, devemos ter um ambiente bem colorido (evitar tons fortes), alegre e arrumado (ela está captando tudo à sua volta, por isso a organização deve ser um fator observado por nós).

1 - ORNAMENTAÇÃO:
A porta da sala é o cartão de recepção. Lembre-se sempre de ter nela um motivo bem alegre.

2 - MURAIS:
Os murais não devem ficar em lugar muito acima da cabeça dos pequenos, senão não serão observados por eles. Também não devem ficar em lugares muito baixos para que não arranquem as gravuras.

3 - ORNAMENTAÇÃO POR TEMAS:
A sala poderá ser ornamentada por temas, tendo o cuidado de não usar personagens de "quadrinhos" ou desenhos animados. Podemos escolher os bichos, por exemplo, e assim selecionar diferentes animais, espalhando-os pelas paredes da sala.

Ter cuidado para não confeccionar desenhos com tamanhos desproporcionais, onde a girafa é do mesmo tamanho que o cachorro por exemplo; nem esquecer de colocar o chão (grama, pedras), para que os animais não fiquem "flutuando".

4 - ORNAMENTAÇÃO POR "CANTINHOS":
Separa-se na sala lugares específicos para atividades específicas. Por exemplo: Cantinho da história, da natureza, da dramatização, da música, da Bíblia...

É importante procurar desenhos que sinalizem cada lugar. No "Cantinho" da história, por exemplo, ter desenhos de diferentes livros, das ilustrações e personagens. São imagens visuais que fazem lembrar, que remetem à história. No "Cantinho" da música, pode-se colocar desenhos, painéis, murais com figuras de crianças cantando, notas musicais, instrumentos, etc.

Observações:
a) Os desenhos ficam mais atrativos quando não estão colados na cartolina retangular, mas com a silhueta do desenho;
b) Os desenhos devem ser trocados periodicamente para evitar que as crianças percam a motivação.
c) Caso prefira desenhar e pintar as paredes, deve-se ter o cuidado de contactar um bom desenhista e um bom pintor.

5 - ORNAMENTAÇÃO TAMBÉM PODE VIRAR BRINCADEIRA!
Coloque um ou dois ganchos no teto de sua sala, prenda nele um fio de elástico de aproximadamente 1/2 cm de largura e pendure bonecos de pano, bolas plásticas (leves) envolvidas em papel celofane ou saco de estopa, e outros brinquedos. Deixe esse fio numa altura em que a criança alcance e assim possa puxá-lo, arremessá-lo, etc, brincando com a decoração. 

Também esses brinquedos devem ser trocados periodicamente. Tenha cuidado na escolha dos objetos usados. Observe se não oferecem algum tipo de perigo para a criança como serem muito pesados, muito duros, terem pontas, etc.

6 - CARTÕES RELÂMPAGO:
Selecione gravuras de revistas, as mais variadas possíveis: bichos, casas, famílias, gente, profissões, objetos, etc. Cuide para que as gravuras sejam bem legíveis e dentro da compreensão das crianças. Em seguida, cole-as em cartolina colorida fazendo uma moldura (procure fazer os cartões de cartolina todos do mesmo tamanho). Caso não tenha disponibilidade do material, cole em papel ofício; podendo colar, dependendo do tamanho da gravura, 2 ou 3 numa mesma folha de papel ofício. Neste caso, as gravuras deverão ter o mesmo motivo para facilitar a compreensão e assimilação da criança. Procure equilibrar a disposição das gravuras na folha.

7 - COMO UTILIZAR O CARTÃO RELÂMPAGO:
Você pode utilizar como se fosse contar a história. Faça uma rodinha, mostre um cartão de cada vez e vá perguntando às crianças o que estão vendo, qual o nome do objeto, onde se compra, para que serve,... Elabore as questões de acordo com as gravuras.

Eles também podem ser usados para fixação da história: selecione o cartão que tem relação com a história, cubra-o com papel celofane e prenda-o com fita crepe no chão. Deixe que a criança passe por ele pise, olhe e brinque... Caso rasguem o celofane, seja criativa! Utilize-o numa colagem em grupo!

8 - FAZENDO QUADROS:
Você pode colocar papéis de cores, estampas e formas diferentes para decorar o ambiente. Coloque-os na altura da criança para que ela manipule, experimente e visualize as cores, as formas, etc.

É provável que esses papéis não durem muito. A criança nesta faixa etária está em fase de experimentação e certamente irá colocar o dedinho, puxar o papel, etc. Não fique frustrada(o)! Faz parte do seu desenvolvimento. Sendo assim, não coloque desenhos elaborados. Utilize papel de presente, papel laminado, de embrulho de ovo de páscoa, ... onde o papel por si só já é um atrativo.

9 - ORNAMENTANDO E CRIANDO COM O CHÃO:
Além dos cartões relâmpagos, pode-se utilizar brinquedos ou objetos cobertos com celofane ou saco plástico transparente para reforçar a história. Isso dará nova vida ao chão e colorirá sua sala! Lembre-se, não é uma ornamentação fixa! É somente para reforçar sua lição.

Caso você conte a história das 100 ovelhinhas, por exemplo, poderá selecionar gravuras sobre fazenda, ou um fio de lã, band-aid, folhas... Ou seja, algo que tenha ligação com a sua história.

10 - UTILIZANDO CORDAS DE NYLON:
Coloque ganchos nas paredes da sala , prenda neles cordas de nylon (de modo que formem um ângulo de 90º) e enfie aí alguns brinquedos como argolas, rolinhos de cabelo... Deixe que as crianças se divirtam deslizando-os sobre a corda.

Os ganhos também podem ser usados para a criação de um varal onde o professor(a) pendura nele diversos objetos ligados à lição. Por exemplo, se a lição for Jesus acalmando a tempestade, pode-se pendurar no varal fotos de tempestades, de navios, etc.

Você também pode providenciar gravatas ou tiras, prendê-las no varal e fazer o balanço do barco. Cada criança pode segurar uma gravata, ou simplesmente sentir o movimento das tiras.

Uma outra sugestão é pendurar no varal tecidos (cortininhas), toalhas ou panos de prato, na altura do rosto da criança de forma que ela possa se esconder. Nessa idade ela ainda não tem noção do esquema corporal, por isso, quando cobre o rosto acha que ninguém pode vê-la; daí surge uma gostosa brincadeira de esconde-esconde. Pode ser utilizada, por exemplo, ao contar a Parábola da moeda perdida.

Observação: É fundamental que a professora(o) brinque com a criança em todos os momentos. Tenha um lugar reservado para expor os trabalhos das crianças na própria sala (ou próximo). É importante que elas vejam suas experiências. Nessa etapa a criança não está preocupada com o resultado final da atividade, mas com a vivência delas. Por isso, não faça os trabalhinhos pelas crianças, nem os critique: somente incentive a participação do grupo nas atividades propostas.

11 - ALMOFADINHAS, ALMOFADAS E ALMOFADÕES!!!
O uso da almofada é fundamental nesta faixa etária. Elas gostam de se recostar, deitar,... Isso torna o ambiente mais aconchegante e acalma a criança. Podem ser de várias formas, cores e tamanhos.

Sugerimos também a confecção de um "minhocão". Ele não só terá a finalidade acima, como também auxiliará no momento da história ou atividade delimitando o lugar onde você quer que elas façam a rodinha.

Observação: As almofadas podem ser feitas de retalhos coloridos. 

Os créditos são da IgrejaMetodista DNTC.
http://www.escoladominical.net/

O Berçário

Nem todas as igrejas dispõem de espaços físicos adequados para montar um berçário. Mas quando se trata de bebês, não pode ser feito algo que seja “mais ou menos”. Ou é feito adequadamente, ou é melhor deixar que os bebês fiquem com os pais no templo, onde terão mais aconchego do que em locais inadequados que podem, inclusive, causar problemas respiratórios nas crianças.
Falamos sobre locais arejados, sem acúmulo de poeira. Você pode estar pensado que é preciso material caro e investimento alto. Não necessariamente. É possível montar um berçário simples, mas é fundamental que seja um local limpo.
Geralmente tudo que é destinado aos bebês, é caro, mas o berçário pode adquirir o material gradativamente.
Algumas classes de berçário buscam verba diretamente com a Igreja, outras, através de doações em dinheiro ou materiais. Em muitos casos, famílias cujos filhos já cresceram doam brinquedos, berços, etc. O importante é que não sejam restoscoisas quebradas e sujas.

Alguns itens importantes para montar um berçário:

v  Salas arejadas com grades de proteção nas janelas
v  Extintores de incêndio
v  Tomadas de luz vedadas
v  Fraldário com pia
v  Álcool para limpeza das mãos
v  Cadeirinha para lanche
v  Filtro de água
v  Higiene da cozinha
v  Beleza e limpeza dos ambientes
v  Paredes decoradas
v  Espaço lúdico adequado para faixa etária
v  Berços
v  Armários com portas
v  Cercadinhos para amamentação
v  Colchonetes
v  Almofadas
v  Espelhos
v  Bolas
v  Barras de apoio
v  Brinquedos adequados ao alcance da criança e sob o olhar dos professores.
v  Mural para avisos



Material higiênico

v  Fraldas de todos os tamanhos (geralmente os pais levam, mas é sempre prudente estar prevenido)
v  Pomada para assaduras
v  Aventais para professores
v  Termômetro
v  Garrafa térmica com água quente
v  Caixinha de remédios para bebês (somente devem ser ministrados sob orientação médica)
Exemplo:
Remédio para cólica
Pomada para picada de insetos

Deixando o bebê na classe

As crianças geralmente choram quando a mamãe se afasta, mesmo que seja por poucos minutos.
Isso acontece principalmente com bebês de aproximadamente 6 meses, pois é nessa hora que percebem que eles e a sua mãe são pessoas distintas. Essa constatação gera o medo de que a mãe saia e não volte mais.
A criança passará por domingos de adaptação do local.  Para sentir-se segura, aceitando o novo ambiente e as pessoas com quem terá convívio.
Caso a criança apresente reação incontrolável, como ansiedade e pânico a estranhos, é desaconselhável deixá-la à força. A mãe deve ser imediatamente chamada para passar com seu filho este período de adaptação, dando tempo à criança para que possa desenvolver confiança nos adultos e no novo ambiente (desconhecido), consolidando assim, a confiança em sua mãe.   
A mãe tendo confiança na classe, sentirá segurança na separação e esse sentimento será transmitido à criança, porém o período de adaptação varia de criança para criança, e deve ser avaliado individualmente.



Algumas dicas importantes:

v  A mamãe deve ser orientada a chegar um pouquinho antes de começar o culto e ficar junto com a tia na classe. Assim, a presença da "tia" não vira sinônimo de “mamãe foi embora”.
v  Se possível, a equipe de berçário deve ser pequena. Pois já existe um bom espaço de tempo entre os domingos e a troca constante de tios nessa faixa etária confunde a cabecinha do bebê e aumenta sua insegurança em relação à separação momentânea da mãe.
v  O bebê aprenderá que a mamãe sai, mas volta logo.
v  Nos primeiros meses, é preciso um jeito especial para acalmar o bebê. Deixe-o junto ao corpo, aconchegado, sem apertá-lo demais: Olhe nos olhos do bebê, pois ele precisa desse contato.

Algumas dicas sobre o choro dos bebês:

v  Fome - Gemidos semelhantes a um apelo que não cessam com carinhos. Somente quando estiverem satisfeitos.
v  Dor - Grito agudo seguido de um pequeno intervalo.
v  Fralda suja ou roupa desconfortável - Choro fraquinho ou estridente.
v  Sono - Criança agitada e com choro nervoso.
v  Cólica - Choro agudo intenso. Normalmente leva a criança a esticar e encolher as pernas, tremer o queixo e fazer cara de dor
v  Emocional - Choro geralmente acompanhado por soluços, como se o pequeno estivesse meio “engasgado” de raiva ou braveza.
v  Excesso de estímulo ou irritação: É um choro meloso que ocorre ao fim de um dia movimentado.






Hora da amamentação

Antes saiba porquê devemos levar tão a sério a amamentação. E a Igreja deve ser colaboradora constante nessa área. Principalmente, porque o próprio Deus assegurou à mulher essa benção: de alimentar seu filho, proporcionando saúde, conforto, aconchego e muito amor.
O berçário deve incentivar as mães à amamentação. No mesmo local podem ser criados espaços com poltronas para acomodar a mãe nessa hora. Você pode colocar cerquinhas ou cortinas para a mãe se sentir à vontade para se despir.
Algumas mães gostam de ter esse momento para ficarem sozinhas com seu bebê. É um temo de intimidade entre eles.



Brinquedos

A cada novo desafio encarado, o bebê desenvolve novas habilidades motoras. Durante as experiências diárias vão se desenvolvendo no cérebro as chamadas sinapses, isto é, conexões entre os neurônios, que são vitais para a construção e consolidação de conhecimentos que a criança precisará para toda a vida.
Os bebês controlam o pescoço e a cabeça, sentam, seguram objetos e andam nas mesmas fases, com pequenas variações de semanas e meses.
Bebês precisam de brinquedos para aprender noções de tamanho, forma, som, textura e como funcionam as coisas.
Segundo a Abrinq, estudos mostram que desde o nascimento os bebês são sensíveis ao seu meio ambiente e revelam que, ao nascer, as percepções sensoriais respondem aos estímulos de olfato, paladar, som, tato e visão.
Mas é apenas a partir do terceiro mês que ele começa a sugar o polegar ou um dos dedos, brincar com a língua, reproduzir sons. Nessa fase, chocalhos, brinquedos musicais e mordedores são os mais apropriados.
De modo geral orienta-se a colocar o bebê de bruços sobre uma toalha e cercá-lo de chocalhos e brinquedos macios que agucem sua curiosidade. Com o tempo, deve-se mostrar para a criança que os braços lhe servirão de apoio e aos poucos, ele conseguirá ficar de bruços por si próprio. O mais importante é respeitar o ritmo de cada bebê.   
Quando um bebê já consegue sentar sozinho, está pronto para brincar com cubos que tenham guizos embutidos ou ilustrações, com copos ou caixas que se encaixam uns dentro dos outros e com brinquedos ou argolas empilháveis.     
O desenvolvimento social da criança é expressivo no oitavo mês. Ele já participa ativamente de brincadeiras como esconde-esconde e troca sinais com os adultos. Os professores podem introduzir brincadeiras como fazer caras diferentes e sons para a criança imitar, bater palmas, brincar de pegar.
Brinquedos para martelar, empilhar e desmontar podem distrair a criança durante certo tempo.

Sugestões de brinquedos para o berçário:

v  Chocalhos, móbiles e mordedores.
Estimulam visão e audição. Som, cores e movimento estimulam o bebê a acompanhar com os olhos e movimentar a cabecinha em direção aos ruídos do brinquedo. Isso colabora muito para o desenvolvimento da coordenação motora.
v  Brinquedos macios com textura e cores vaiadas chamam bastante a atenção do bebê.
v  Animais de pano com sinos dentro.
Eles gostam de brinquedos que emitem sons.
v  Bolas coloridas de pano.
v  Legos e peças grandes que não machucam.
v  Quando começam a andar, gostam de carrinhos para empurrar.


Momento de descanso

Mesmo estando fora de casa, a criança pode sentir sono. O descanso é fundamental neste período e está dentro da rotina diária.
Na Igreja o ritual de sono de cada criança deve ser respeitado e, quando ficam sonolentas, devem ser colocadas em berços confortáveis.






Musicalização

A musicalização é um processo muito importante no desenvolvimento da criança. Além de despertar e desenvolver habilidades musicais, ela estimula o desenvolvimento da linguagem, concentração, memória, afetividade, disciplina, socialização, imaginação, criatividade, enfim um desenvolvimento integral e saudável.
Cantar para o bebê, bater palmas ou falar de forma ritmada representa um estimulo a mais. Isso contribui muito para o desenvolvimento da fala, porque canções infantis e brincadeiras musicais são criadas através de seqüência, harmonia e melodia, aspectos também encontrados na linguagem.
Além disso, a repetição também é um forte exercício para a memória.
Você vai perceber que as primeiras falas do bebê são a emissão prolongada de uma vogal, como “aaa...”. Depois vem a duplicação de sílabas como “mamã”.

Sugestões de CDs cristãos para bebês:

v  Canções de ninar – Clássicos dos Vencedores por Cristo
v  Vida de Criança – Vencedores por Cristo
v  Tia Noeme e seus amiguinhos - Viva o Verde e Outros Bichos
Existem também coletâneas diversas com canções de ninar dos hinos tradicionais.




Hora de engatinhar


Depois que o bebê começa a engatinhar, a necessidade de colo diminui. O mundo a ser explorado representa um desafio maravilhoso e ele só vai querer colo quando estiver cansado.
Separe um espaço com tapetinhos próprios. Verifique se o tapete é antialérgico e se ele não causa danos ao joelho do bebê. Atualmente algumas lojas vendem um material – tipo joelheiras – próprio para os bebês não machucarem seus joelhos.



Entrada e saída dos bebês


Cuidado, muito cuidado!
Já existem registrados alguns casos de seqüestros de crianças feitos em Igrejas. As pessoas chegam e pedem para levar o bebê falando que são parentes, mas na realidade não são.
Por isso a Igreja e o berçário precisam ter cadastro, fichas para deixarem com os visitantes.



 FONTE: http://leninhamaia.blogspot.com.br/2011/09/treinamento-para-bercario-na-igreja.html

0 comentários:

Postar um comentário

COMPARTILHES NAS SUAS REDES SOCIAIS

ARQUIVOS DO BLOG